quarta-feira, 27 de junho de 2012

Um terço das águas do país tem qualidade inadequada



Esse é o resultado de um levantamento da ONG SOS Mata Atlântica em mananciais de 13 unidades da federação

A pesquisa da SOS Mata Atlântica constatou que nenhuma das amostras coletadas em 43 fontes de águas naturais de 12 estados e do Distrito Federal tinha qualidade ótima ou boa. Em 70% delas, a qualidade do recurso foi avaliada como regular, em 25% como ruim e em 5% como péssima.
Os técnicos utilizaram os parâmetros definidos pelo Ministério do Meio Ambiente para fazer a classificação das amostras. O principal agente de poluição, segundo o levantamento, é o esgoto doméstico. A carga de contaminação é tão elevada que exige que as águas passem por tratamento antes de serem destinadas ao uso doméstico ou industrial.
Os indicadores usados no levantamento, realizado durante o ano de 2010, estão associados à falta de saneamento básico, tais como presença de bactérias, larvas e vermes, espuma, vários tipos de resíduos sólidos e orgânicos e baixa quantidade de oxigênio na água.
Na amostragem selecionada pela ONG, as fontes em melhores condições estão localizadas nos estados de Pernambuco e Espírito Santo. São o rio Doce, em Linhares (ES), e a lagoa Maracajá, em Lagoa dos Gatos (PE).
No extremo oposto, os mananciais com pior avaliação são o rio Verruga, em Vitória da Conquista (BA) e o lago da Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro (RJ).
O resultado mostra, segundo Malu Ribeiro, coordenadora do programa Rede das águas da SOS Mata Atlântica, que é preciso adotar urgentemente medidas em defesa da boa qualidade da água em todo país.
"Com a ação, queremos despertar nas pessoas a necessidade de mudança de comportamento", declarou Malu.

Fonte: CYAN

População de Vitória da Conquista (BA) bebe a pior água do Brasil 

O abastecimento de água para a população urbana da cidade, a cargo da EMBASA (Empresa Baiana de Água e Saneamento), é realizado por um sistema de transposição entre as bacias hidrográficas do Riacho Água Fria e do Rio Verruga. “Existem altos índices de poluição por termotolerantes e situações de riscos de contaminação da população, principalmente por coliformes fecais, devido às fontes de esgoto doméstico e dejetos de animais. Os produtos químicos oriundos das indústrias, da lavagem de roupas e utensílios domésticos é outra fonte de poluição e contaminação bastante peculiar nos trechos analisados”, afirma Altemar Amaral Rocha (UESB/UNEB).

Fonte: CiaCristal


Nenhum comentário:

Postar um comentário